Auditoria Cidadã e entidades se reúnem com ministra to TCU

Os retrocessos avançam numa velocidade maior que reação popular, mas o despertar para a urgência de alguns debates começa a avançar.
Como a iniciativa da ministra do Tribunal de Contas da União, Ana Arraes, apontando a necessidade de verificação das irregularidades no endividamento dos entes federados, que atualmente se encontram em situação de calamidade social e econômica. Diante disso, a Auditoria Cidadã da Dívida, juntamente com OAB, Febrafit, IBDP, Fenafisco, Unacom e Fonacate, se reuniram com a ministra para enfatizar a necessidade de se analisar a dívida dos estados em suas origens, questionando planos, refinanciamentos, projetos e negociações que prejudicaram os entes e suas finanças.

A coordenadora nacional da Auditoria Cidadã da Dívida, Maria Lucia Fattorelli, mostrou como a dívida dos estados tem sofrido forte impacto da política monetária adotada em âmbito federal e seus juros estratosféricos tem inflado a dívida, criado o efeito “bola de neve”.
“A situação de caos dos Estados é tamanha, que eles têm sido empurrados a acordos desvantajosos com a União, cuja contrapartida é a entrega do patrimônio que ainda resta aos entes. O pretexto para essas privatizações é o pagamento de uma dívida que não poderá nunca ser quitada, pois a cobrança de juros extorsivos faz com que cresça de forma abusiva”, afirmou Fattorelli.
Na ocasião, foi entregue um documento de sugestões acerca de uma auditoria da dívida nos estados e os elementos que influenciaram seu crescimento desse endividamento.
Veja: https://goo.gl/oLNbKX
Reuniões

Além da reunião no TCU, a coordenadora nacional da Auditoria Cidadã ainda participou de atividade na Frente Parlamentar em Defesa da Previdência Social, onde convidou a todos para a consulta popular que está sendo construída em parceria com diversas entidades e que irá questionar três temas: dívida pública, previdência social e privatizações.
Na sequência, seguiu para uma reunião com a bancada do PSB na Câmara, onde mostrou um panorama da dívida, suas consequências e os projetos que retiram direitos para destinar recursos públicos para a dívida.

Ao final do dia, Fattorelli se encontrou com o deputado Roberto Lucena (SP) para mostrar como a política econômica e o privilégio ao setor financeiro tem sacrificado a vida da maioria dos brasileiros e justificado medidas duras de ajuste.